Das despedidas

“Pero hacia donde vaya llevaré tu mirada;
y hacia donde camines llevarás mi dolor.”  Pablo Neruda

Há despedidas formais, com direito a discurso e aquelas mais simples que terminam com um abraço e um “a gente se vê por aí”. Têm despedidas que não ocorrem e a gente só percebe um tempão depois que se despediu sem saber. Foram tantas nesse meus vinte-e-muitos anos que eu deveria ter me habituado, mas a verdade é que cada uma delas deixa meus olhos irritantemente cheios de lágrimas. Daí eu disfarço, respiro fundo e digo para que eu mesma possa acreditar: vai passar.

Mas com o tempo a gente percebe que as despedidas não se dissipam. Elas vão se somando e cada pessoa faz uma falta diferente. Para rir de uma piada, para enteder aquilo que a gente queria dizer mesmo sem dizer, para fazer um comentário indiscreto, para discussões intermináveis.

E a soma de despedidas se transforma num acumulado de saudades de tantas pessoas diferentes que estão espalhadas por aí. Impossível habituar-se a tanta saudade,  então a gente faz o que pode, manda e-mail, manda cartinha, faz longas ligações via skype, junta um dinheirinho e vai visitar… e faz novos amigos, torcendo  para que estes não partam tão cedo.

Cet article a été publié dans Brasília, Saudades. Ajoutez ce permalien à vos favoris.

4 commentaires pour Das despedidas

  1. Eliane dit :

    Que texto lindo. Saudades!

  2. Tallyta dit :

    Concordo plenamente com o texto, muito bom mesmo… aprendi uma coisa em se tratando de algumas despedidas, é importante despedir, encerrar alguns ciclos, principalmente quando o assunto é relacionamento amoroso…parece que quando não nos despedimos fica alguma coisa no ar, algo que a gente espera todo dia mas que não volta, como um filho que já se foi…entende isso? o que acha?

  3. Ruth dit :

    Amiga, eu nao sabia que vc tenia um « blog ». Ele é muito bom !
    E sim, saudade, saudade de voce… ainda nao sei dizer adeus.
    Beijos

  4. Mariáh dit :

    despedir dói demais. a saudade também. mas aí a gente lembra que pra despedir, teve que criar um laço suficientemente significante e é esse laço que nós faz estar bem sempre que precisar.

Laisser un commentaire

Entrez vos coordonnées ci-dessous ou cliquez sur une icône pour vous connecter:

Logo WordPress.com

Vous commentez à l'aide de votre compte WordPress.com. Déconnexion / Changer )

Image Twitter

Vous commentez à l'aide de votre compte Twitter. Déconnexion / Changer )

Photo Facebook

Vous commentez à l'aide de votre compte Facebook. Déconnexion / Changer )

Photo Google+

Vous commentez à l'aide de votre compte Google+. Déconnexion / Changer )

Connexion à %s