A saga de um título eleitoral

Tirei meu título eleitoral em 2000, quando tinha 16 anos. Naquele ano votei para prefeito e vereador. Foi na minha primeira eleição que Marta Suplicy derrotou Paulo Maluf.

De lá para cá nunca tirei meu título da carteira.Muitas vezes eu esqueço o RG ou o cartão o banco, mas o título está sempre lá. Em 2002 eu mandei plastificá-lo, o meu titulo estava um pouco amassado e eu o queria inteiro para votar na minha primeira eleição para presidente da República. Em 2006 consegui convencer os franceses, para assegurar uma entrada gratuita no Louvre, que ele era documento mais do que suficiente para provar minha identidade e idade, mesmo não tendo foto.

Este ano ele era, segundo a decisão do STF, desnecessário, mas eu o apresentei mesmo assim para a mesária, que não deu muita bola.  O documento pode até ter para alguns pouca importância, mas meu título, com 10 anos e 6 eleições nas costas, me relembra das pessoas que lutaram nesse país para que eu pudesse ter esse direito.

Publicités
Cet article a été publié dans Brésil, Droits de l'homme. Ajoutez ce permalien à vos favoris.

Répondre

Entrez vos coordonnées ci-dessous ou cliquez sur une icône pour vous connecter:

Logo WordPress.com

Vous commentez à l'aide de votre compte WordPress.com. Déconnexion /  Changer )

Photo Google

Vous commentez à l'aide de votre compte Google. Déconnexion /  Changer )

Image Twitter

Vous commentez à l'aide de votre compte Twitter. Déconnexion /  Changer )

Photo Facebook

Vous commentez à l'aide de votre compte Facebook. Déconnexion /  Changer )

Connexion à %s