Ce que Jack Nicholson ne sait pas (une revue gastronomique)


Faz uns dois (três?) meses que eu descobri que o Jack Nicholson era habitué de um restaurante perto da minha faculdade. Isso mesmo, assim, sem mais nem menos, quando ele vem para Paris pega um taxi e desce na Brasserie Lipp para encher a pança.

Preciso confessar que depois disso meu caminho para faculdade nunca mais foi o mesmo, toda vez que eu saia do metrô e ia pelo Boulevard Saint German até a Sciences Po eu dava uma espiadinha para dentro da Brasserie para ver se o dito cujo estava lah. E antes que alguém me remende, a Lipp é conhecida não soh pelo Jack NIcholson, mas por outros atores, escritores e politicos que também adoravam ou adoram dar uma paradinha por lah. Ah! E também pela comida…

Pois bem, porque eu conto isso tanto tempo depois? Simples, o distinto senhor meu pai veio me visitar na semana passada e ao saber da historia não perdeu a oportunidade e fomos os dois fazer um déjuner no 151 Boulevard Saint Germain. E de fato a comida estava boa, o atendimento foi eficiente e o ambiente era agradavel. Entretanto, do alto de todo o meu conhecimento gastrônomico, que vai fazer um quarto de século esse ano, posso dizer que foi uma boa refeição. Mas nada supimpa do tipo eu-quero-voltar-sempre-aqui. Foi, digamos, uma interessante experiência sociologica almoçar no restaurante que Jack Nicholson elegeu para fazer suas refeições parisienses.

Agora se você vier para Paris e não for super fã do Jack Nicholson, o restaurante parisiense que eu recomendaria, e acredito que o papai faria coro, é o La Robe et le Palais proximo ao mêtro Chatelêt. O pequeno restaurante na Rue Lavandières, que fecha aos Domingos, é uma casa com « vins des propriétaires »e uma culinaria deliciosa. O atendimento exemplar e o ambiente descontraido deixaram a Brasserie Lipp comendo poeira.

Da entrada a sobremesa tudo estava supimpa! Eu me deliciei com um cordeiro assado 7 horas e acompanhado de cogumelos e vagens salteados na manteiga e um purê de batata doce e o senhor meu pai escolheu o « poisson du jour », um belissimo salmão com polenta e legumes. E ficamos os dois com vontade de voltar lah toda noite para jantar. Como alias pareciam fazer os demais frequentadores do restaurante.

Mas olha, não espalha muito não…porque vai que o Jack Nicholson descobre.

Cet article a été publié dans France, Gastronomie. Ajoutez ce permalien à vos favoris.

Laisser un commentaire

Entrez vos coordonnées ci-dessous ou cliquez sur une icône pour vous connecter:

Logo WordPress.com

Vous commentez à l'aide de votre compte WordPress.com. Déconnexion /  Changer )

Photo Google+

Vous commentez à l'aide de votre compte Google+. Déconnexion /  Changer )

Image Twitter

Vous commentez à l'aide de votre compte Twitter. Déconnexion /  Changer )

Photo Facebook

Vous commentez à l'aide de votre compte Facebook. Déconnexion /  Changer )

Connexion à %s