Notas sobre minhas primeiras duas semanas em Paris

photo000.jpg Dada a falta de acesso à internet por aqui, no chamado primeiro mundo, escrevo apenas agora, mais de quinze dias depois, as novidades da minha chegada. As novas vão sintéticas, numa tentativa de resumir essas duas primeiras semanas tão conturbadas de afazeres. Daqui para frente prometo posts regulares, uma vez reintegrada ao mundo digital.

#1 

A narração, no entanto, começa um pouco antes da minha chegada em Paris. A Alemanha foi meu primeiro contato com o velho mundo. Eu não tinha nem bem descido do avião e esticado as pernas quando fui abordada por um policial que pediu meu passaporte para controle em espanhol (talvez porque o avião chegasse do Brasil), mas com toda delicadeza alemã. Depois do primeiro susto, não tive maiores problemas com a imigração. O problema foi mesmo com as malas, as duas pequenas valises de respectivamente 32 e 26 quilos que eu trouxe. Carregar 2 malas, mais a bagagem de mão e a bolsa, de um terminal até outro do aeroporto, subindo e descendo escadas rolantes, não é tarefa simples. Mas eu a cumpri com resignação e ajuda de diversos estranhos nas 3 horas que eu tinha da chegada em Frankfurt até o embarque.

#2

Cheguei no aeroporto Charles de Gaulle às 20 horas e peguei um taxi às 22, depois de pegar a bagagem mais uma vez e ligar para todos para informar da minha chegada. 

Teoria comprovada. Taxista é igual em qualquer lugar do mundo…tentativas (frustradas) do motorista de puxar assunto, tentativa ( bem sucedida) de tentar passar a perna no turista trouxa que não sabe para onde vai e a eterna impressão de ter pago bem mais do que deveria.

#3

Minha recepção foi a melhor parte da jornada de chegar em Paris. Recebida na casa da Maria, uma brasileira da igreja, até minha ulterior instalação na Cité Universitaire, fui muito bem tratada, com banho quentinho e cama limpinha e um café da manhã com direito a pão de queijo.

#4

Nos dias que se seguiram: muitas saudades de casa, afazeres burocraticos e aulas de frances. Diversas viagens da casa da Maria até a CitéU para fazer a minha mudança por partes. Aguardava ansiosamente a sexta-feira com a chegada da Nane e uma companheira para percorrer comigo a dura estrada da burocracia francesa.

Burocracia é a palavra de ordem por aqui, voce precisa de carimbos para pegar papéis para pegar carimbos, para poder efetivamente fazer alguma coisa.

#5

Instalada no meu quarto, amiga chegada. Faltava resolver a saga informatica. Acreditar que a vida digital no primeiro mundo é de facil acesso é uma grande ilusão. Tanto que na casa da Maria, que é casada com um frances e mora aqui mais de 10 anos não tem internet de alta velocidade. Os cybercafes custam uma pequena fortuna e não são assim tão simples de encontrar. Eu felizmente contava com acesso à internet wifi no meu quarto, faltava um computador. Comprei um e vim feliz da vida ( apesar das estranhices do teclado frances) para o meu quarto. 

Quando cheguei com ele em casa, qual não foi minha surpresa ao ser informada que a internet no prédio não estava funcionando porque alguém tinha roubado, nas férias o roteador. Felizmente o problema foi resolvido e agora posso mandar noticias desse canto do mundo sempre que possivel.

Cet article a été publié dans Chegada, France. Ajoutez ce permalien à vos favoris.

Un commentaire pour Notas sobre minhas primeiras duas semanas em Paris

  1. Flá=D dit :

    Que perereco…
    Pão de queijo…. huummmmmmmm

Laisser un commentaire

Entrez vos coordonnées ci-dessous ou cliquez sur une icône pour vous connecter:

Logo WordPress.com

Vous commentez à l'aide de votre compte WordPress.com. Déconnexion /  Changer )

Photo Google+

Vous commentez à l'aide de votre compte Google+. Déconnexion /  Changer )

Image Twitter

Vous commentez à l'aide de votre compte Twitter. Déconnexion /  Changer )

Photo Facebook

Vous commentez à l'aide de votre compte Facebook. Déconnexion /  Changer )

Connexion à %s